Seguidores

domingo, 6 de junho de 2010

A raposa e as Uvas



TEXTO I - A RAPOSA E AS UVAS

Uma raposa estava com muita fome. Foi quando viu uma parreira cheia de lindos cachos de uva.
Imediatamente começou a dar pulos para ver se pegava as uvas. Mas a latada era muito alta e, por mais que pulasse, a raposa não as alcançava.
— Estão verdes — disse, com ar de desprezo.
E já ia seguindo o seu caminho, quando ouviu um pequeno ruído.
Pensando que era uma uva caindo, deu um pulo para abocanhá-la. Era apenas uma folha e a raposa foi-se embora, olhando disfarçadamente para os lados. Precisava ter certeza de que ninguém percebera que queria as uvas.

Também é assim com as pessoas: quando não podem ter o que desejam, fingem que não o desejam.
(12 fábulas de Esopo. Trad. por Fernanda Lopes de Almeida. São Paulo: Ática, 1994.)



TEXTO II - A RAPOSA E AS UVAS

De repente a raposa, esfomeada e gulosa, fome de quatro dias e gula de todos os tempos, saiu do areal do deserto e caiu na sombra deliciosa do parreiral que descia por um precipício a perder de vista. Olhou e viu, além de tudo, à altura de um salto, cachos de uva maravilhosos, uvas grandes, tentadoras. Armou o salto, retesou o corpo, saltou, o focinho passou a um palmo das uvas.
Caiu, tentou de novo, não conseguiu. Descansou, encolheu mais o corpo, deu tudo o que tinha, não conseguiu nem roçar as uvas gordas e redondas. Desistiu, dizendo entre dentes, com raiva: “Ah, também não tem importância. Estão muito verdes”. E foi descendo, com cuidado, quando viu à sua frente uma pedra enorme. Com esforço empurrou a pedra até o local em que estavam os cachos de uva, trepou na pedra, perigosamente, pois o terreno era irregular, e havia o risco de despencar, esticou a pata e… conseguiu! Com avidez, colocou na boca quase o cacho inteiro. E cuspiu. Realmente as uvas estavam muito verdes!

Moral: A frustração é uma forma de julgamento como qualquer outra.
(Millôr Fernandes. Fábulas fabulosas. Rio de Janeiro: Nórdica, 1991. p. 118.)


■ COMPREENSÃO E INTERPRETAÇÃO
1. Fábula é uma pequena narrativa, muito simples, em que as personagens geralmente são animais.
a) Na fábula de Esopo, a raposa, com fome, vê “lindos cachos de uva”. Se os cachos eram lindos, por que, então, a raposa diz que as uvas estavam verdes?
b) A raposa, não alcançando as uvas, vai embora. Que fato posterior a esse comprova que a raposa mentia ao dizer que as uvas estavam verdes?

2. As fábulas sempre terminam com uma moral da história, isto é, com um ensinamento.
a) Identifique no texto o parágrafo que contém a moral da fábula de Esopo.
b) Qual das frases abaixo traduz a idéia principal da fábula de Esopo?
( ) Quem não tem, despreza o que deseja.
( ) A mentira tem pernas curtas.
( ) Quem não tem o que deseja, sente inveja dos outros.

3. Compare a versão de Millôr Fernandes à de Esopo.
a) Até certo ponto da história, as duas fábulas são praticamente iguais. A partir de que trecho a versão de Millôr fica diferente da versão de Esopo?
b) Qual é o fato da versão de Millôr que altera completamente a história?

4. A moral da história de Millôr Fernandes é claramente identificada: “a frustração é uma forma de julgamento como qualquer outra”.
a) Consulte o dicionário e veja qual sentido das palavras frustração e julgamento corresponde ao que elas têm no contexto. Depois troque ideias com seus colegas e com seu professor e responda:
frustração:.............................
julgamento:.............................
O que essa moral quer dizer?
b) Qual das frases abaixo traduz a ideia principal dessa moral?
( ) Uma pessoa frustrada não sabe fazer um bom julgamento. acabamos acertando”.
( ) Às vezes, uma mentira acaba expressando uma verdade.
( ) Uma pessoa malsucedida acaba tirando conclusões erradas.


■ A LINGUAGEM DOS TEXTOS
1. Na fábula de Esopo, lemos: “a latada era muito alta e, por mais que pulasse, a raposa não as alcançava”. Em qual das frases abaixo a expressão destacada
tem sentido mais aproximado ao da expressão por mais que?
a) Uma vez que pulava, a raposa não as alcançava.
b) A não ser que pulasse, a raposa não as alcançaria.
c) Mesmo que pulasse, a raposa não as alcançaria.
d)Quando pulava, a raposa não as alcançava.

2. Na mesma fábula se lê: “Precisava ter certeza de que ninguém percebera que queria as uvas”. Nessa frase, sem alterar o sentido, a parte destacada pode ser substituída por outra expressão: “Precisava estar certa de que…”.
Faça o mesmo com as frases a seguir:
a) Precisava ter segurança de que alcançaria os cachos de uva.
b) Precisava ter confiança de que conseguiria dar os saltos.
c) Precisava ter disposição para saltar em direção às uvas.

3. Em seu texto, Millôr Fernandes empregou as expressões fome de quatro dias e gula de todos os tempos.
a) Qual a diferença entre fome e gula?
b) O que significa gula de todos os tempos?

4. A palavra nem é o resultado da soma de duas outras palavras de nossa língua: e + não. Por exemplo:
“Não pagou a conta nem (e não) deu nenhuma explicação ao garçom”. Entretanto, há casos em que essa palavra ganha outro sentido. Por exemplo, em “não conseguiu nem roçar as uvas gordas e redondas”, do texto de Millôr, a palavra nem tem o sentido de sequer. Em qual das frases abaixo a palavra nem tem o mesmo sentido que na frase de Millôr?
a) A raposa não alcançou as uvas nem pegou nenhuma outra fruta naquele dia.
b) Não ganhei nem um “obrigado” pelo que fiz.
c) Nem estudou, nem fez a lição de casa, nem nada.

CRUZANDO LINGUAGENS


1. A tira de Bill Watterson acima mostra a personagem Calvin em uma situação que lembra a fábula de Esopo.
A) Por que Calvin, até certo ponto, se assemelha à raposa?
B) Em qual cena ou situação a história de Calvin fica diferente da história da raposa? Por quê?

2. Você conhece o provérbio “Quem não tem cão, caça com gato”?
a) O que ele quer dizer?
b) Se quiséssemos empregar esse provérbio como título de uma das três histórias, a qual ou quais delas ele seria mais adequado? Por quê?


FONTE: Português: Linguagens — William Roberto Cereja e Thereza Cochar Magalhães

Um comentário:

  1. OLÁ, GOSTARIA DO GABARITO DESSA ATIVIDADE PARA CONFIRMAR MINHAS RESPOSTAS E ASSIM PASSÁ-LAS PARA MINHA CLASSE. cilene_marinho16@yahoo.com.br

    ResponderExcluir